terça-feira, 21 de novembro de 2006

A Praia

Como mexe o por do sol com o nosso espirito, vejo em minha volta gente hipnotizada, maravilhada, vejo nos seus olhos a felicidade de um dia perfeito. Fala-se de amor, desamor, viver, sobreviver, mas vejo q tudo isso desaparece ali, no nosso santuário, depois do ritual mágico, em conjunto mas ao mesmo tempo só, só mas sem solidão. Vejo em ti amigo, e em ti também, conhecido, aquilo que eu próprio sinto depois de despir o fato, de pousar a prancha, vejo que não quero estar noutro lugar!

1 comentário:

Psyche disse...

Eu nasci e cresci junto à praia. Acordava e adormecia a ouvir o mar, o barulho das ondas a estender-se na areia, e no inverno, da sua força contra os rochedos.
Os veroes eram passados na praia ate as 10 da noite. a ver o mar, a brincar na prancha...

bons velhos tempos, mas que nos recordam que ha sempre um lugar onde pertencemos.

beijinhos. e continua*

ana